segunda-feira, 13 de abril de 2015

INDO EM FRENTE

INDO EM FRENTE

De tempos em tempos atingimos uma fronteira. Nela podemos ver o que somos e o que podemos ser.
Ao atingirmos esse limite também podemos ver que já não somos mas o que antes éramos.
Na fronteira não podemos ficar. Não há pouso na fronteira, ou nos enganamos no retorno, ou arriscamos tudo... indo adiante.
Triste é deixar o que ficou. Triste é se esvaziar, só assim porém trilhamos novos caminhos. renovamos a bagagem na longa jornada que se chama vida.

11/04/2014

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Opinião:

Translate