sexta-feira, 17 de abril de 2015

DURKHEIM E FUNÇÃO DA ESCOLA

Quais as reformas necessárias para que a educação na sociedade atual assuma com eficácia sua missão?

     Apresento este pequeno texto assumindo uma postura acrítica da função da escola considerando-a como mecanismo de adequação social e perpetuação dos valores vigentes na sociedade do Capital.
   Para Durkeim a escola é uma instituição necessária para perpetuar os valores construídos socialmente no intuito de garantir a coesão e solidariedade social. Na percepção de Durkheim, "a socialização é um processo de aprendizagem e a consciência coletiva seria formada durante esse momento."
    Se levarmos em conta que a missão da escola é de fato corroborar com os valores vigentes na sociedade e,  através do processo de aprendizagem, perpetuá-los gerando indivíduos adaptados e capazes de manter a coesão social, então a escola tem assumido sua missão com sucesso! Em que pontos a escola tem cumprido sua missão?

1. A escola, em suas atuações na esfera pública e privada tem exercido papéis distintos, mas que em sua gênese colaboram para a manutenção do status quo. Para os que podem pagar pela escola privada de qualidade há a quase garantia de ingresso nos cursos de elite das universidades públicas ou nas privadas (Financiadadas com recursos públicos) o que perpetua uma classe homogênea no poder e que possuem em si a assimilação dos valores burgueses. Para os oriundos da escola pública, para aqueles que as condições desumanas de sobrevivência não conseguirem excluir durante o processo escolar, há a chance de ingresso em cursos de menor prestígio e remuneração (Ciências humanas em particular as licenciaturas). As raras excessões servem tão somente para apoiar a ideologia das capacidades individuais que superam todas as circunstâncias adversas "se o Lula conseguiu você também consegue..."

2. A educação é conteudista e prioriza o sucesso cognitivo em detrimento do pensar reflexivo. O desmonte do movimento estudantil universitário e a visão cartesiano-positivista nos saberes produzidos excluem qualquer possibilidade de reflexão sobre as causas das desigualdades sociais, o que mantem a falsa percepção de que esses desajustes são culpa dos próprios desajustados.
   Há ainda muitos outros pontos sobre os quais podemos nos apoiar ao afirmar o sucesso da escola como instituição mantenedora da ordem social. Se há reformas que amplifiquem a eficácia da escola será a nível cognitivo. A revolução digital em curso apresenta-se como importante elemento modificador da escola porém em termos de tratamento do conhecimento. O mundo virtual e seus novos paradigmas de territorialidade e presencialidade tendem a unir pensamentos distanciando corpos. A multiplicação do conhecimento gera ao mesmo tempo a banalização dos fatos já que não permite a reflexão destes devido a velocidade e propagação de novas mensagens e informações.
   A escola já está fazendo o que precisa fazer para melhorar em sua função (Segundo Durkeim). A pública continua a excluir e diplomar analfabetos funcionais (com raras e felizes exceções- graças a Deus) ao oferecer conhecimento a conta-gotas  e a privada continua perpetuando a divisão de classes desde as primeiras idades. Se melhorar talvez estrague...


21/01/2013
Jorge Luiz

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Opinião:

Translate