sexta-feira, 17 de abril de 2015

Mcluhan e a previsão confirmada sobre a educação contemporânea



"Haverá um dia - talvez este já seja realidade - em que as crianças aprenderão muito mais - e muito mais rapidamente, em contato com o mundo exterior do que no recinto escolar". McLuhan (1964)
FONTE DA IMAGEM: www5.usp.br
    A citação de McLuhan, da forma como apresenta-se, assemelha-se a uma profecia. Tal profecia encontra sua realização na contemporaneidade. O ato de aprender e ensinar deixou de ser exclusividade da escola e passou a materializar-se nas residências, nas ruas, na palma das mãos... Com a advento das telecomunicações e a revolução tecnológica, o conhecimento teve expandida radicalmente sua disponibilidade. Os gráficos, layouts e toda espécie de incremento digital que acompanha as informações, tornam o ato de aprender bem mais atrativo que a velha fórmula escolar: Professor - discurso - ouvir - memorizar.
   A atual complexidade suscita da escola novos posicionamentos que tendem a desmontar toda antiga estrutura na qual se baseou no último século. Sua missão envolve pontos que vão desde a necessária abertura às culturas globais até a reestruturação do modo de se trabalhar os conteúdos. Priorizar os processos de comunicação, em nível virtual, global e local, e estabelecer relacionamentos abertos com outras instituições capazes de gerar conhecimentos, como museus e bibliotecas, são alguns dos novos posicionamentos que a escola deve tomar para manter sua justificativa de existência e de local primário onde se dá o processo de ensinar e aprender. Apesar da grande disponibilidade de informações e de ser possível aprender muito e muito rápido usando a tecnologia, a força institucional da escola enquanto provedora de aprendizagem não acabou, só precisa ser melhorada e adaptada aos novos tempos.

Ref: Mcluhan, Marshal. Editora Cultrix, 1974 

31/01/2013
Jorge Luiz  

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Opinião:

Translate