sexta-feira, 17 de abril de 2015

EDUCAÇÃO E SOCIEDADE DO CONHECIMENTO


Como a escola poderá atender as exigências impostas pela sociedade do conhecimento?
FONTE DA IMAGEM: www.edilsonsilva.com

   A escola tem respondido aos anseios da sociedade no sentido de direcionar a formação cidadã ao preenchimento dos postos de trabalho que impulsionam as forças produtivas. No capitalismo industrial o Estado assumiu a educação e construiu similaridades que convergiam em uma formação instrucional voltada a tornar o mais próximo possível o ambiente da fábrica ao da escola. Horários rígidos, campainhas e conhecimento fragmentado materializavam essas intenções.
    A sociedade do conhecimento mudou o foco de valor baseado na produção industrial para a informação. As telecomunicações e o fluxo de capitais aliados à constante produção e divulgação de informações suscitam um cidadão capaz de continuar aprendendo sempre, flexível, criativo e dinâmico e a escola surge novamente como instituição criadora deste cidadão. A escola deve portanto atingir esse objetivo construindo novas realidades em seu cotidiano que vão desde a mudança da relação professor-aluno até o desmonte de toda estrutura compartimentada com que apresenta os conteúdos. A escola hoje deve preocupar-se em criar habilidades e competências necessárias a inserção e permanência do indivíduo perante o cenário atual: Criação, divulgação e obsolência de saberes em velocidades nunca vistas antes.
   As imcubências exigidas pela sociedade do conhecimento à escola têm sido concretizadas em todos os níveis de ensino, contudo, em todos os casos há pontos posítivos e negativos. No nível médio já é possível identificar o ensino e abordagem interdisciplinar na prática educativa. Os livros, tanto no fundamental 1 e 2, já apresentam o conceito de interdisciplinaridade. Porém, enquanto não houver a mudança na forma pela qual os conteúdos são tratados, ou seja, a compartimentação do saber, será difícil criar habilidades como pensamento em rede e consciência planetária.

Ref: BOFF, Leonardo. A Carta da Terra e a consciência planetária. Um olhar “de dentro”. In: OLIVEIRA, P.A.R.; SOUZA, J.C.A. (Orgs.) Consciência Planetária e Religião – Desafios para o século XXI. São Paulo: Paulinas. 2009.
MORIN, E. Introdução ao pensamento complexo. 3. ed. Porto Alegre: Sulina, 2007.


27/01/2015
Jorge Luiz

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Opinião:

Translate