sexta-feira, 1 de maio de 2015

AVALIAÇÃO INSTITUCIONAL

Avaliação institucional nas escolas é para controlar ou para democratizar?

FONTE DA IMAGEM: www.unisinos.br

   A avaliação institucional constitui-se em mais um mecanismo de controle do desempenho da escola como um todo e a partir do qual se devem tomar rumos no sentido de atingir a qualidade total na educação. Esse controle pode ser visto pelos profissionais envolvidos no processo educativo como uma forma do Estado supervisionar e ditar os rumos da escola sem contudo comprometer-se totalmente na medida em que não realiza essa fiscalização sozinho, mas compartilha com os profissionais e comunidade escolar suas ações.
   O Estado perde a legitimidade de avaliador quando se exime de sua função mantenedora e passa a fiscalizar e encontrar falhas que muitas vezes nascem de sua omissão não só no ambiente escolar mas nas políticas sociais capazes de elevar o nível de vida e capacidade de sobrevivência através de reais oportunidades de trabalho e formação. Quando isso não acontece, é na escola que ocorrerão os reflexos: dificuldades de aprendizagem, indisciplina etc.
    A avaliação institucional possui sua legitimidade quando se realiza sob um modelo gestão participativo que, ciente dos diversos fatores externos que influenciam a qualidade dos resultados e ações escolares, não deixa de perceber os fatores internos que limitam o sucesso da educação. Tais fatores podem ser facilmente identificados: Docentes descompromissados com o ensino, desconhecimento ou descumprimento da proposta pedagógica, falta de projetos interdisciplinares que trabalhem os temas transversais sem os quais não há formação cidadã, dentre outros. Levando em conta esse segundo aspecto da avaliação institucional, acredito que tal avaliação seja necessária  e benéfica para a escola, desde que feita para achar soluções e não apenas para encontrar e punir culpados, destes, o Estado seria o primeiro réu. 

Jorge Luiz
14/04/2013

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Opinião:

Translate