sexta-feira, 1 de maio de 2015

NEOLIBERALISMO E EDUCAÇÃO

As influências do modelo neoliberal na educação
FONTE DA IMAGEM: acasadevidro.com
   O neoliberalismo é um sistema de gestão governamental que preconiza a intervenção mínima do Estado em áreas estratégicas (Educação, finanças, acordos comerciais, etc) buscando com isso o enxugamento das contas e preservando a autonomia do Mercado como crença de que o mesmo tem o poder de atingir o equilíbrio na mesma medida em que as forças em ação se auto-regulam. A mínima intervenção estatal também se concretiza na flexibilização das relações trabalhistas e na concepção da educação como mercadoria. Sobre este aspecto último se destina esta breve reflexão.
   As idéias de mercantilização do ensino como medidas de concepção neoliberal não são novas. Remontam à década de 50 quando Milton Friedman criou as primeiras políticas neoliberais que muito se assemelham às políticas adotadas no Brasil (Financiamento de cursos particulares, repasse de verbas condicionados ao desempenho da escola referente a aprovações, bolsa escola e diversos outros incentivos). Outro aspecto que não pode ser esquecido é a gestão do processo educativo sob uma visão massivamente tecnicista onde se priorizam resultados em detrimento da qualidade desses resultados o que gera excelentes números de aprovação, contudo péssimos índices de inabilidade comprovados nos testes externos de habilidade leitora e raciocínio lógico-matemático.
   No Brasil, principalmente no atual governo, o neoliberalismo revestiu-se de características peculiares que se mostram através  das ações governamentais ora centralizadoras, ora liberais. Seguindo a postura da maioria dos países latino americanos, o país, ou melhor, o atual governo, mistura protecionismo comercial com altas taxas de juros atraindo capital estrangeiro, criando alta dependência e fragilidade econômica. O Brasil Consegue manter-se caracteristicamente neoliberal mantendo ações de cunho social-democrata objetivando criar uma espécie de Welfare-state fundamentado em puro assistencialismo e populismo ineficaz para a nação, pois não produz mudança na mentalidade das pessoas visto não estar associado a um política educacional eficiente e criadora de uma mentalidade capaz de garantir sua empregabilidade e decidir os rumos de sua vida deixando portanto de precisar dos recursos advindos do Estado.

   
Jorge Luiz
21/03/2013

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Opinião:

Translate